Yogasanas: Uma Perspectiva Médica (parte 2)

Dr. Krishna Raman MBBS, FCCP

Trecho do Yoga Rahasya volume C. Tradução livre de Maurício Frighetto

Os efeitos fisiológicos das posturas em pé

Posturas em pé fortalecem o tornozelo, o arco do pé, os joelhos e as articulações da coluna vertebral. Os órgãos abdominais, como fígado e baço, são alongados, qualquer lentidão neles é removida e suas células são tonificadas. Todos os órgãos abdominais são prevenidos de hérnia e prolapso. A massagem aplicada aos órgãos abdominais resulta em melhor circulação sanguínea e aumenta a atividade peristáltica do intestino.

A parede lateral do coração é completamente esticada e tonificada para que nenhuma isquemia (deficiência no suprimento de sangue) possa ocorrer. Os músculos cardíacos também são fortalecidos sem qualquer aumento no volume do músculo quando as posturas são mantidas por um período prolongado. O ácido lático não se forma nos músculos, pois essas posturas são estáticas e não dinâmicas e, portanto, o sistema circulatório não se cansa.

As paredes laterais dos pulmões também são tonificadas à medida que essas posturas expandem os músculos intercostais para que a ventilação dos pulmões seja melhor. Cada alvéolo é aberto para que a perfusão do pulmão também seja melhor.

O efeito terapêutico das posturas em pé 

Posturas em pé descomprimem as articulações intervertebrais, proporcionando alívio da dor devido a um prolapso de disco ou do nervo ciático. Elas causam uma tração natural da coluna vertebral e restauram a força intrínseca dos músculos – o que evita um prolapso de disco no futuro. 

A tração causada pelas posturas em pé é diferente da “tração médica”, onde uma força externa é usada. O problema surge invariavelmente depois que a força externa é removida. O problema se repete, a menos que os músculos mantenham sua resiliência e os espaços intervertebrais separados. Todos os problemas musculoesqueléticos são mecânicos e devem ser tratados mecanicamente. O realinhamento dos músculos para-espinhais remove as tensões alteradas e a tensão sobre os nervos espinhais e restabelece sua relação anatômica.

Fusão ou alterações artríticas nas articulações da coluna vertebral são abolidas pelo alongamento dos músculos para-espinhais e dos ligamentos intervertebrais.

Leia os outros trechos

Yogasanas: Uma Perspectiva Médica

Yogasanas: Uma Perspectiva Médica (parte 3)