Yogaterapia (Parte 3)

You are currently viewing Yogaterapia (Parte 3)

B.K.S. Iyengar

Trecho do Yoga Rahasya. Tradução livre de Maurício Frighetto.

Métodos de realização de pranayama

Ao fazer pranayama, a origem da respiração na inalação e na exalação, a respiração mediana e a respiração final, a retenção da respiração em certos locais do corpo, a rapidez e a velocidade da respiração e o volume necessário da respiração são levados em consideração.

Com o Pranayama as células do corpo são plantadas e cultivadas da maneira correta. O pranayama, com sua distribuição e utilização adequadas, energiza o corpo. As variedades de pranayama servem ao corpo, mente, intelecto e chitta na busca espiritual, trazendo as mudanças necessárias nos níveis físico, fisiológico, psicológico, moral e espiritual.

Os asanas têm um efeito curativo e preventivo quando são praticados totalmente fundidos em tapas.

O corpo poluído e a mente poluída são então limpos. Em primeiro lugar o corpo e a mente são limpos; depois, purificados. Chitta é purificado através do “omkara japa”, que erradica as distrações e diversões da mente. Finalmente, o corpo, mente e chitta estão santificados para alcançar o estado de samadhi. 

Portanto, o significado de “terapia” não deve ser restringido ou paroquial. Pelo contrário, deve ser considerado de forma abrangente, extensivo e expansivo, de modo que o objetivo de chittasuddhi seja alcançado. 

O vriti-sarupyam de drsta (alma) é o estado de doença onde, como em “Swarupavastha” é um estado de “à vontade”, as amarras são quebradas. O purusa (alma) é libertado das amarras de prakriti. Portanto, yogaterapia não é meramente uma terapia para doenças do corpo e da mente, mas uma terapia de chitta.

Yoga é a mais antiga, a maior, a melhor e a última terapia nesse sentido.

Confira os outros trechos:

Yogaterapia (parte 1)

Yogaterapia (parte 2)