Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 3/3)

You are currently viewing Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 3/3)

Por B.K.S Iyengar

Artigo da revista Yoga Rahasya, que reúne textos publicados entre 1994 e 1996.

A prática de asanas também pode ser estudada e entendida em termos de pancha bhutas (os elementos terra, água, fogo, ar e éter) e suas contrapartes (as partículas infra-atômicas aroma, sabor, forma, toque e vibração) para obtenção de ricos insights sobre a estrutura, o processo e a função de cada asana. 

Terra e aroma representam o invólucro anatômico e a saúde física, a água e o sabor simbolizam o invólucro fisiológico e a saúde orgânica. Fogo e forma caracterizam a saúde mental, que queimam as toxinas e trazem frescor e equilíbrio à mente.

O ar e o toque ajudam a inteligência a discriminar e discernir o efeito do asana e a difundi-lo por todo o corpo, mente e Eu. Esse contato e toque estimulam o atman a expandir-se ou contrair-se no invólucro etéreo, ouvindo a vibração do corpo, que é conhecida como a linguagem do corpo.

Cada praticante tem que sentir esses cinco elementos com sua qualidade dinâmica trabalhando em uníssono em cada asana ou em cada fluxo de energia no pranayama. Então o asana é perfeito, confortável e estável, de acordo com Patanjali. Até então, não é uma performance perfeita de um asana, mas um processo em direção a ele.

O estágio final da performance encontra-se dentro da liberação suave do asana, refazendo os movimentos passo a passo para voltar ao ponto de partida. É preciso ver que os espasmos ou solavancos não ocorram no corpo, na mente e na alma, nem a chama e a energia intelectuais desaparecem ou brilham.

Observe e estude os movimentos dos músculos, articulações, tecidos e células no ponto de partida; no asana, sinta o ajuste, reflita e reajuste. Similarmente, ao se libertar do asana, refaça todos os pontos e retorne ao ponto inicial. Esta é a chave certa a ser usada para dominar um asana.

A prática consciente e regular mantém as células do corpo, que possuem inteligência e memória próprias, desenvolvendo-se saudavelmente e, ao mesmo tempo, enriquecendo as jóias do corpo (hormônios), criando pureza no pensamento para se aproximar do atman.

Assim, a prática de asana com atenção reflexiva e meditativa leva o sadhaka a se mover com a atitude correta, equilíbrio e estabilidade, trazendo vivacidade e dinamismo. Esse método de praticar asana leva dos bancos da tristeza para os bancos da emancipação e da liberdade.

Tradução livre de Maurício Frighetto

Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 1/3)

Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 2/3)