Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 1/3)

Por B.K.S Iyengar

Artigo da revista Yoga Rahasya, que reúne textos publicados entre 1994 e 1996.

Nosso sistema filosófico é conhecido como darshanas (espelhos ou percepções diretas do Supremo, do Real). Essas percepções foram baseadas na fundação firme da experiência. Infelizmente, esta grande e gloriosa tradição ancorada na experiência foi esquecida. Sutilezas textuais escolares e habilidades lógicas intelectuais estão tomando seu lugar. Mesmo o yoga, uma disciplina prática por excelência, tornou-se uma filosofia de poltrona.   

A difamação dos yogasanas como uma prática física que não serve aos buscadores do Supremo criou dúvidas em muitos praticantes, embora Patanjali tenha concedido importante lugar para os yogasanas em seu tratado. De acordo com Patanjali, o domínio dos yogasanas é uma pré-condição para o pranayama. No Sadhana Pada, três sutras estão dedicados aos asanas, mas no Vibhuti Pada há inúmeras referências à saúde do corpo (kaya sampat) e às realizações físicas (siddhi).   

Muitos textos de yoga enfatizam os dhyana asanas (posturas meditativas). É igualmente verdadeiro que um texto de yoga como Shiva Samhita fala em milhares de asanas, revelando que há tantos asanas quanto espécies no planeta.  

É difícil descrever os asanas porque cada um tem sutis e finos ajustes, não apenas nos membros do corpo, mas em cada tecido da inteligência e da consciência. Deve-se treinar e tonificar o corpo para ter força, flexibilidade, resistência, equilíbrio e integração para fazer o asana confortavelmente e corretamente por um considerável período de tempo mesmo em uma postura meditativa. 

É impossível fazer dhyana asana ou postura meditativa sem aperfeiçoar muitos outros asanas e tonificar o corpo. O valor dos asanas é explicado como tapas por Patanjali no Yoga Sutra II.43, onde ele diz que se deve queimar as impurezas do corpo, dos sentidos e da mente para a alma reacender a chama da divindade que está escondida. Consequentemente, eu sinto que os asanas são uma forma de tapas demandando rigorosa disciplina. 

Hoje esta rigorosa disciplina se transformou em uma suave yoga instantâneo. Esta prática leve e casual perdeu a crítica e científica exposição experimental dos asanas, mas abundam fascículos estéreos escritos sobre o assunto. 

Embora os asanas tenham sido aceitos como um método alternativo de medicina devido à consciência das pessoas em saúde, não devemos esquecer a natureza holística do corpo e como cada asana é preenchido com um profundo conhecimento do corpo e da mente, arte e filosofia, que começa no corpo bruto e, então, se aprofunda nas várias camadas internas (invólucros) até encontrar o governante interno – atman.

Asanas, como uma ciência, lidam com a saúde e a perfeição do corpo e ajudam a descobrir as diferenças entre o corpo e a mente deixando o Eu em um estado de cristal puro. Somente plantas e árvores saudáveis ​​produzem boas flores e frutos –, e a horticultura foi desenvolvida para cultivar árvores e plantas saudáveis. Similarmente, os asanas elevam os sentidos da percepção e os órgãos de ação, desenvolvem harmonia no funcionamento do corpo e mantêm todo o sistema nervoso livre de bloqueios

Começamos a aprender com o conhecido, o objeto visível como o corpo antes de explorar o desconhecido e se mover em direção ao mais sutil do sutil, o Eu. 

Tradução livre de Maurício Frighetto. 

Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 2/3)

Yogasanas: A Procura do Infinito no Corpo Finito (parte 3/3)

Chat
Como podemos ajudá-lo?
Fale conosco!